A profissão do jornalista em risco

O medo de se precisar usar ou não diploma para exercer a prática jornalística é um tema constante para a profissão.

Mesmo após a aprovação da lei, em 2013, que torna obrigatório o uso do diploma em qualquer atividade considerada jornalística, muito ainda se fala sobre a necessidade, ou falta, do mesmo. Essa polêmica tem dividido opiniões entre estudantes, profissionais da área e pessoas que exercem a atividade em meios alternativos, que defendem a ideia que a profissão pode influenciar a sociedade com informações que são fornecidas pelos jornalistas e os que discordam da ideia e defendem seu ponto de vista, alegando que essa decisão pode inibir a liberdade de expressão das pessoas que não possuem o diploma.

Foto/Reprodução Charge do Quinho
Foto/Reprodução Charge do Quinho

Um exemplo disso é a jornalista da Rádio Tupi, Karina Chagas, de 25 anos. Ela afirma que ser jornalista é passar as informações para o público, é ser um mediador das informações do dia a dia, do cotidiano dos interessados. Falando ainda sobre esse assunto, no ponto de vista de Karina, as pessoas que ‘’ bancam ‘’ serem jornalistas, poderiam adquirir o curso para terem um conhecimento mais aprofundado sobre o assunto, um conhecimento teórico.

Já a blogueira Flávia Rocha, de 19 anos, sempre se considerou jornalista, desde pequena, acredita que com a internet todos os jornalistas de certa forma, acham que a informação pode ser passada por qualquer um para qualquer um, mas ela acredita, como Karina, que os conhecimentos técnicos são fundamentais para ser um jornalista ideal.

Com ou sem diploma, o jornalismo é uma área muito ampla e com grandes possibilidades de mercado. Para aqueles que se identificam com a profissão e gostariam de segui-la, outra grande dúvida é o que é preciso para ser um jornalista. Esta profissão, não está dentre as mais bem remuneradas, então primeiramente é preciso gostar de escrever e de ouvir histórias. Sem pretensões salariais estratosféricas. Também é preciso entender que esta não é uma profissão com horários e expedientes específicos. Se trabalha no ritmo da notícia, sempre. Este assunto também foi abordado pela CNN, eu nos trás a opinião de próprios profissionais da área.

Imagem/Reprodução
Foto da página da Folha de S. Paulo

Redação: Maria Carolina e Isabela Lauriano

Pauta: Patrícia de Cássia e Daniella Batista

Edição: Junno Sena

Revisão Viviane Prisco

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s